fbpx
TOP
Volta às Ilhas

Partida - Olhão

Descrição

O nosso passeio mais popular. Um roteiro que percorre os canais fluviais de Olhão e as ilhas-barreira que fazem parte da Ria Formosa.

A Ria Formosa é nada mais nada menos que… espetacular! Para além de Parque Natural, a Ria é uma zona húmida classificada com importância ecológica internacional ao abrigo da Convenção sobre as Zonas Húmidas de Importância Internacional (RAMSAR).

Conheça o Farol do Cabo de Sta. Maria (Ilha do Farol) e dê um salto à fantástica Ilha Deserta. Aproveite para almoçar na Ilha da Culatra (paragem de 1h30m, almoço não incluído) antes de nos dirigirmos à Ilha da Armona, onde faremos uma pequena paragem de 30 minutos. O passeio termina onde começou, em Olhão.

Duração:

4 hora(s)

Preço:

Cruzeiro: 25€ por pessoa / Lancha: 30€ por pessoa

Pontos de interesse

  • Ilha da Armona
  • Ilha da Culatra
  • Ilha dos Hangares
  • Ilha do Farol
  • Barra de Olhão-Faro
  • Viveiros de ostras, berbigão e amêijoa
  • Ruas do centro
  • Mercados
  • Igreja Matriz de Olhão
  • Ermida de Nossa Senhora da Soledade
  • Rua do Comércio
  • Zona Ribeirinha
  • Parque Natural da Ria Formosa
  • Edifício do Compromisso Marítimo
  • Fuseta
  • Ilha da Armona
  • Ilha da Culatra
  • Ilha Deserta

Horário

  • 13:00h às 17:00h: Cruzeiro
  • 13:00h às 17:00h: Lancha

Reservar

Ver vídeo

Itinerário

  • Partida de Olhão – Ilha do Farol – Ilha Deserta – Ilha da Culatra (paragem de 1h30 para almoço, preço não incluído)
  • Barra da Armona – Ilha da Armona (paragem de 30min)
  • Regresso a Olhão

Descubra e desfrute da diversidade de ilhas, aldeias e praias do Parque Natural da Ria Formosa, em Olhão:

  • Olhão:

Há indícios de que o território de Olhão é povoado desde os tempos pré-históricos.A proximidade da barra e a existência de água e peixe em abundancia levaram à fixação dos primeiros pescadores. O desenvolvimento da pesca costeira e de alto mar, e das trocas comerciais permitiu um grande desenvolvimento do povoado que, em 1695, era conhecido por Freguesia de Nossa Senhora do Rosário de Olhão.

Durante a ocupação francesa do Algarve, em 1808, surge em Olhão uma grande revolta popular contra os invasores, que levou à expulsão dos mesmos do território. Olhão ficaria conhecida por Vila de Olhão da Restauração.A pequena vila de pescadores teve um exponencial desenvolvimento económico, social e urbano, pelo que, em 1985 foi elevada a cidade, ficando conhecida por cidade de Olhão da Restauração.

Atualmente continua a ser uma terra de pescadores e industriais de conservas, mas a crise do sector tem levado ao aumento do turismo como alternativa económica. A cidade tem aproximadamente 14900 habitantes.

  • llha da Armona:

Tem cerca de 9 km de comprimento, largura máxima de 1400m na extremidade SW e um longo cordão dunar frontal de 8 a 9 m de altura robusto e bem vegetado até à zona da Fuzeta. A deposição de sedimento a ocidente é um fenomeno único em todo o sistema da Ria Formosa e contribui para o estreitamento da Barra da Armona. A ocidente fica a parte mais larga da ilha onde se encontra a povoação da Armona, formada por pescadores e mariscadores. A maior parte das habitações servem hoje para férias dos proprietários e/ou para alugar no período de Verão.

  • llha da Culatra:

Possui 7km de comprimento. A população inicial veio , perto de 1880, de vilas vizinhas e dedicava-se à pesca por armações para a pesca de sardinha. A ocupação, atualmente com cerca de 1000 habitantes e 350 casas, deu-se neste local por ser uma zona estratégica relativa à pesca. Habitavam casas com paredes de madeira e telhados de colmo.

  • Hangares:

O aglomerado existente deve-se à antiga base da Aviação Naval Portuguesa, com hidroaviões para vigiarem a costa. Tinham dois hangares (grandes galpões) que deram nome ao local. Da base restam apenas vestígios das fundações dos hangares. O povoamento de Hangares é ainda reconhecida por ter uma capela, a de Nossa Senhora do Rosário dos Hangares.

  • Farol:

O farol foi construído em 1851, e deu nome ao aglomerado de casas que se desenvolveu mais tarde em volta. Tem hoje um elevado índice ocupacional, mas bastante sazonal. É uma povoação de pescadores constituída por casas modestas, ruelas de areia e alojamento para féria virados para a ria. O turismo é atualmente um dos recursos.

  • llha da Barreta ou Deserta:

Possui 8 km de comprimento e de 70 a 700 m de Largura. Tem baixa ocupação antrópica. A oriente existem dois pequenos aglomerados de cabanas de arrumos de pescadores junto à laguna, restaurante e concessão de praia, junto à Barra Faro-Olhão. Tem um passadiço de madeira, que percorre o lado da Ria e termina no areal da costa marítima.

Transfers

Se estiver de férias e não conseguir transporte até ao local de embarque do seu passeio, a nossa equipa assegura o seu transporte, sob um custo adicional.

Subscreva à nossa Newsletter